16 de maio de 2017

Voltei!

É estranho voltar a escrever aqui, quando eu paro pra pensar que meu último post foi em dezembro de 2015. A verdade é que de lá pra cá, muitas coisas aconteceram, e consequentemente, muita coisa mudou. Engraçado como tanta coisa muda em um ano, né?
Bom, apesar do blog não ter mais aquela importância que tinha na minha vida uns anos atrás, eu decidi voltar. Decidi voltar porque, eu percebi que com o tempo estava deixando de lado essas pequenas coisas que me faziam feliz, -como por exemplo escrever um texto aleatório sobre meus sentimentos e postar aqui- por falta de tempo. E eu não quero que isso aconteça. São essas pequenas coisas, por mais simples que sejam, que fazem a diferença.

Eu não sei como as coisas vão ser daqui pra frente, não sei do que eu vou falar e postar aqui, mas eu apaguei alguns posts que eu achava irrelevantes e tenho em mente que quero falar de coisas que possam fazer o dia de alguém melhor (ou pelo menos, vou tentar), e, sei lá, alguma coisa que eu achar legal por aí! A ideia é de que o blog seja um lugarzinho que eu possa falar das coisas que eu amo e me fazem feliz. <3

19 de dezembro de 2015

Terminei o ensino médio, e agora?!


Todo ano alguém termina o ensino médio. O nerd que reclamava por tirar nove e meio. A apaixonada que passou mais tempo se recuperando das brigas do que se preparando para a prova de física. O engraçadinho que dizia qualquer besteira para chamar a atenção da turma toda. E você, que nunca fez parte de nenhum grupinho, pelo menos não que eu saiba, mas que assim como todos os outros alunos, está enfrentando o vazio pós termino da escola. E agora? Eu também estava me perguntando isso. Muitas dúvidas surgiram, muitos pensamentos vieram, mas, calma. Agora, eu penso: a vida começa. 
Primeiramente, parabéns! Por ter sobrevivido a todos esses anos de escola. Talvez um dia você até concorde que essa foi a melhor época da sua vida, provavelmente quando tiver que arrumar um emprego e pagar suas contas. Mas, enquanto isso não acontece, acordar na hora que seu corpo julga ser a certa é tão surreal que ás vezes você escuta despertadores invisíveis.
E então, os dias passam. Seus estoques de filmes e séries pra assistir diminuem. Cada dia você inventa alguma coisa diferente pra fazer, ou não, apenas aproveita pra dormir todas aquelas horas que não dormiu o ano todo. Mas sempre pensa, oque fazer agora? Saiba que somos protagonistas da nossa própria vida, e nosso destino é totalmente independente dos outros e dependente da gente.
Como assim? Vamos voltar no tempo.
É na escola que aprendemos a lidar com o outro. Antes disso, nós éramos os bebêzinhos do papai e da mamãe. Cheio de defeitos, mas perfeitos. Pirracentos, barulhentos e egoístas. Lembram? Até então, ninguém tocava no nosso brinquedo. Aí, na escola, nos ensinaram que não somos os únicos do mundo e que existem pessoas bem diferentes.
Crescemos mais um pouquinho e nos damos conta que ser diferente pode ser um grande problema. Se você tem um grupo de amigos, você fica. Se você não tem, você vai. Para casa, para o intervalo, para os passeios, sozinho. Ás vezes você preferia se afastar. Eu também. Eu preferia ser eu mesma a ter que fingir alguém que não sou, e sempre foi assim. Era melhor ter poucos amigos, mas todos verdadeiros e que estavam lá, sempre comigo.
O tempo passou, e você teve que entender porque agora tinha letra bem no meio da matemática. O porque ciências, que era uma matéria tão legal, talvez sua preferida, se transformou em biologia e era uma decoreba sem fim. Foram tantos finais de semana para conseguir gravar aquela fórmula de química. Agora você já nem lembra mais, certo? Eu também não.
Dessa época, lembro das primeiras conversinhas de namoro. Algumas meninas, bem adiantadas, já gostavam de alguém. E eu queria uma Barbie de natal.
Enfim, chegou o terceiro ano. E de uma hora para outra suas melhores amigas se tornam desconhecidas. Mais estranho que isso só o tamanho da fórmula que fizeram você decorar para a prova final. Na época, você jurava que não conseguiria tirar mais de seis, e quando viu o boletim, sete e meio. Passou de ano. De novo. E de novo, até que um dia, era o último. Acabou e, não ver mais o uniforme de sempre na gaveta te liberta. Agora você é quem você sempre teve vontade de ser. Tenta.

13 de dezembro de 2015

Oi, voltei


Entrei aqui e fiquei até com dó de tanta poeira que tinha, fazia um bom tempo que eu não postava nada nesse blog. A verdade é que eu estava sem tempo nesses últimos dias, muita coisa aconteceu ao mesmo tempo: a apresentação do meu TCC, provas finais, entregas de trabalho. E pra piorar ainda perdi a amizade de uma pessoa que era muito importante pra mim. Mas tudo ocorreu bem, tirei nota máxima na apresentação, e isso foi um alivio enorme pra mim, terminei todas as provas e trabalhos e já estou de férias.
Esse foi meu último ano na escola, e pra dizer a verdade eu achei que ia ficar muito feliz quando eu terminasse a escola, mas não tá sendo bem assim; Agora, eu preciso dar um rumo na minha vida, arrumar alguma coisa pra fazer, e não tá sendo nada fácil. Inclusive voltei aqui pro blog pois não tinha NADA pra fazer. Ok, estamos em dezembro, estou de férias, e ano que vem eu vou fazer vários cursos e estudar pro vestibular, mas eu não gosto de ficar sem nada pra fazer, não gosto de me sentir improdutiva, sabe?
Mas ás vezes é bom tirar férias, pensar na vida, decidir o que eu quero daqui pra frente.

Todo mundo dizia que quando eu terminasse a escola, eu iria sentir falta depois, mas eu nunca acreditei. Mas é verdade, eu realmente estou sentindo falta da escola, e é muito estranho pensar que ano que vem não vou pra escola.

Bom, é isso, se alguém ainda lê meu blog, só queria avisar que voltei! =)

11 de agosto de 2015

Deus... Obrigada.

"Uma nova história Deus tem pra mim, um novo tempo Deus tem pra mim"

"Deus, obrigada.
Eu lembro que, na virada do ano, eu cantei esse louvor, e profetizei "Grandes coisas estão por vir", e tirei todo pensamento negativo da minha cabeça sobre o ano de 2015, e acreditei que esse ano seria muito melhor que 2014.
O ano ainda não acabou,mas posso dizer que está sendo um dos melhores anos da minha vida. Até agora, só aconteceu coisas boas, que talvez as pessoas não percebam, mas que pra mim, fez muita diferença e o Senhor sabe disso.
Mudei de endereço, mudei de escola, fiz novas amizades, conheci pessoas boas, que me fazem bem e feliz. Meu pai voltou pra casa. Muita coisa mudou, dentro de mim principalmente. Eu estou mais feliz, mais confiante, com mais auto-estima. A cada dia dando meu melhor. E eu sei que o Senhor NUNCA me abandonou. Então, obrigada, por tudo Pai, me perdoa pelos meus erros, me perdoa por não acreditar, me perdoa por ás vezes agir sem pensar, me perdoa por ás vezes reclamar sem motivo. E mais uma vez, obrigada."

Acredite, tudo vai melhorar. Deus está com você, Ele nunca te abandonou, Ele sempre está contigo mesmo que você não perceba, Ele ainda está aí. As vezes você pode até achar que não é digno, que não merece, mas Deus sempre quer dar o melhor pra você. Apenas tenha fé.
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo